7 de ago de 2014

Doença celíaca, sensibilidade ao glúten e SII, existe alguma relação?


O texto a seguir foi publicado no site Allergic living, estou publicando a tradução porque acredito que as informações são interessantes para celíacos, sensíveis a glúten e para portadores da síndrome do intestino irritável (SII).








Antes de iniciar a leitura, você sabe o que são FODMAPs?
"Existe uma categoria de carboidratos de cadeia curta que são mal absorvidos no intestino delgado chamados FODMAPs (fermentáveis, oligo, di, mono-sacarídeos e polióis) que variam de frutose e lactose a álcoois de açúcar (ou polióis) e derivados do feijão, galacto-oligossacarídeos (GOS). Em pessoas suscetíveis, e particularmente em grandes doses, esses carboidratos podem desencadear sintomas como gases, flatulência e diarreia." (Tamara Duker Freuman MS, RD, CDN)
Agora sim, boa leitura!

A  ligação entre doença celíaca, sensibilidade ao glúten e FODMAPs

por Alice Bast


"Eu não sei", é a frase mais temida de qualquer paciente. Quando se trata de nossa saúde, nós encontramos conforto em respostas e tratamentos comprovados. Mas, às vezes, a incerteza pode ser uma coisa boa. É um sinal de que estamos a fazer perguntas, a explorar todos os ângulos, e nunca tendo uma solução como uma verdade absoluta.
Este é o caso da sensibilidade ao glúten não celíaca. Praticamente não reconhecida uma década atrás, a sensibilidade ao glúten é agora um enigma desconcertante que deu início a mais de 200 estudos nos últimos dois anos. Hoje, temos mais perguntas do que nunca, mas isso é uma prova de nossa pesquisa crescente e conhecimento, e não a falta dela.
Embora possa ser frustrante ter tantas incógnitas, é importante notar que não estamos sozinhos. Médicos e pesquisadores estão lidando com essas questões, e eles têm um firme compromisso em respondê-las. Como o Dr. David Sanders, presidente do comitê consultivo de saúde para Celíaco do Reino Unido, nos lembrou recentemente: "Nós ainda estamos em uma curva de aprendizagem sobre esta condição e sua história natural, e os pacientes precisam entender isso."
Uma das maiores questões que emergiram recentemente - e um item de debate quente no Simpósio Internacional de doença celíaca,  no ano passado - é se a prevalência explosiva de sensibilidade ao glúten é realmente devido ao glúten, ou se outros fatores poderiam ser parte da causa.
Há muito se suspeita de uma ligação entre a sensibilidade ao glúten e síndrome do intestino irritável (SII), e novos estudos continuam a reforçar a associação. Uma pesquisa recente revelou que a intolerância ao glúten ou sensibilidade ocorre em 28 a 30 por cento de pessoas com SII, uma taxa de prevalência muito mais elevada do que na população em geral.
O que isto nos diz é que algumas pessoas com a síndrome podem se beneficiar através da remoção do glúten de suas dietas, e isso pode ajudar a explicar por que a sensibilidade ao glúten parece ser mais ampla do que a doença celíaca. Mas, ao mesmo tempo, os pesquisadores enfatizam que uma dieta sem glúten não é a solução para todas as pessoas com a síndrome, e há outros fatores para descobrir.
Outra área de interesse de pesquisa é FODMAPs.
FODMAPs inclui uma variedade de alimentos como cebola, brócolis, feijões, maçãs e leite que podem ser de difícil digestão para algumas pessoas.
A nutricionista Susan Shepherd desenvolveu a dieta de poucos FODMAPs em 1999 como um tratamento para a SII, e ao longo dos últimos anos, ganhou atenção significativa entre os pacientes e os pesquisadores para a eficácia.
O que é particularmente notável é que o trigo, cevada e centeio também estão na lista de FODMAPs, por isso há um cruzamento entre a dieta de baixo FODMAP e a dieta livre de glúten. Pesquisadores estão curiosos se os benefícios da dieta sem glúten em pessoas com sensibilidade ao glúten pode realmente ser um resultado da redução da ingestão FODMAP.

São FODMAPs o problema, ou é apenas glúten?


Um estudo publicado em junho de 2013 constatou que, em algumas pessoas com sensibilidade ao glúten e SII, ao reduzir a ingestão de FODMAPs houve uma melhora dos sintomas mais significativa do que com a dieta livre de glúten.
No entanto, outros estudos descobriram que as pessoas com a síndrome e sensibilidade ao glúten relataram melhora dos sintomas em uma dieta livre de glúten, e os benefícios se manteve mesmo quando os alimentos ricos FODMAPs, como feijão, foram reintroduzidos.
Então o que isso significa? São FODMAPs o problema, ou é apenas glúten? É SII uma parte do espectro de transtornos relacionados ao glúten, ou ele é um caso a parte?
Não é necessariamente uma coisa ou outra. O que esses estudos demonstram é que temos muito o que aprender, e verdades absolutas apenas limitarão o nosso progresso.
No passado, nós erramos ao descontar os sintomas de uma pessoa simplesmente porque não se encaixavam no molde. Mas agora, há um movimento em direção a "medicina personalizada", que abrange toda a pessoa, individual e considera tudo, da genética a dieta e sintomas, no desenvolvimento de um tratamento especializado.
A medicina personalizada entende que o que funciona para uma pessoa pode não funcionar para outra, que é exatamente o que estes estudos sobre SII e FODMAPs demonstraram. É a mesma razão pela qual a NFCA (National Foundation for Celiac Awareness) sempre recomendou que você faça escolhas alimentares e nutricionais com base em suas necessidades de saúde individuais.
A medida que avançamos ao longo desta curva de aprendizado, eu garanto que os pesquisadores irão encontrar novas conexões, contradições surpreendentes e ainda mais perguntas sobre transtornos relacionados ao glúten. Nosso papel como pacientes será manter uma mente aberta e abraçar a mudança da paisagem.

fonte:The link between celiac diease, gluten sensitivity and fodmaps

Para saber mais:
Nutrição esportiva para atletas com hipersensibilidades
FODMAPs a dieta da vez para a síndrome do intestino irritável (SII)

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário

Olá! Seus comentários serão muito bem-vindos.