10 de fev de 2016

Por que seus parentes se incomodam com a sua restrição alimentar?


O inconsciente
Em poucas palavras podemos dizer que o inconsciente é onde estão armazenadas as informações que nos foram passadas mas que estão reprimidas e não são facilmente trazidas à mente consciente, podendo ser oriundas de algum trauma ou até mesmo apenas memórias, simples pensamentos, desejos e impressões que temos mas que estão abaixo da memória realmente acessível. Para Freud, este tipo de pensamento pode desencadear doenças, problemas mentais, neuroses e uma série de questões.
(Diferença entre o inconsciente e subconsciente, Sala de psicologia)




Refletindo sobre minhas experiências e sobre relatos que li nas comunidades de celíacos, percebi que boa parte das agressões, piadinhas de mau gosto e críticas acontecem em reuniões familiares.
Claro que existem famílias que acolhem muito bem seus integrantes celíacos, mas é evidente que as principais dificuldades de convívio social estão entre os parentes.
Mas por quê??
Acredito que seja MEDO. Embora inconsciente, esse medo pode ser o real motivo de nossa dieta gerar tanto incomodo nas reuniões familiares.
Para a doença celíaca existir são necessários alguns fatores, a exposição ao glúten e a carga genética.
Família é um grupo de pessoas que compartilham a carga genética. Quando você descobre que é celíaco, indiretamente seus familiares se tornam fortes candidatos a celíacos.
Você se transforma em um incomodo sinal de alerta perambulando pela festa de Natal da família!
Por isso é vital tentar convencer o celíaco que a dieta é besteira, que contaminação cruzada é loucura, que você passou a vida inteira comendo glúten e não parecia ter problema algum, que é psicológico...
 Todas as falas que ouvimos, de deboche, de críticas, de preconceito, na realidade não são para nós, são para eles mesmos.
O medo inconsciente de ser celíaco, e ter que abrir mão da cerveja e do pão francês, faz com que a convivência conosco e com a nossa dieta seja uma tortura.
Muitas vezes o celíaco acaba evitando reuniões familiares, pois a tortura sofrida não vale a pena, e no final, era o que inconsciente dos familiares queria mesmo, expurgar  o incomodo da sua presença.
Obviamente, tudo está no inconsciente, o medo de ter a doença, o medo da dieta, o desejo de afastar o parente celíaco, enfim o desejo de fechar os olhos.
Mas vale lembrar, que as piadinhas inconvenientes,as indiretas, as críticas e até as contaminações propositais, essa são bem conscientes, mesmo quando motivadas por desejos inconscientes.
O que fazer então?
Essa é a parte mais difícil, porque explicar, educar sobre a doença celíaca e sobre a dieta é nossa responsabilidade. Mas também deve haver um limite.
Cada individuo sabe o seu nível de tolerância. Cada um sabe o que pode desculpar e o que não dá para deixar passar.
Tenho adotado a regra de algumas chances, com explicações mais simples possíveis para que qualquer pessoas entenda as minhas restrições. Se as situações continuam se repetindo, passo a evitar a pessoa. Afinal, fica evidente que o problema não é falta de informação sobre doença celíaca, é sim algo mais profundo e que esse meu parente talvez precise de ajuda profissional para lidar com seus medos.

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário

Olá! Seus comentários serão muito bem-vindos.